O jovem empreendedor, descrença ou preconceito contra?

Olá a Todos. Me chamo Philipe Cardoso, tenho 20 anos, sou formado como técnico de informática, estudante de direito e dono de uma empresa.

Quero falar um pouco sobre o que podemos chamar de preconceito e falta de crença das pessoas com o jovem empresário e o mesmo preconceito com pessoas que tem seu próprio negócio.

Parece que os senhores nossos pais em geral tem muito mais orgulho do filho que passou em uma universidade pública do que aquele que na mesma idade abriu a própria empresa. Ser empresário antes dos 20 ou até 18 anos pode causar enorme desconfiança, dúvida e críticas. “Você não sabe com o que está se metendo”, “Não vai dar certo”, “Deixa de ter ideias bobas e vá estudar que é o melhor que você faz”. São frases que talvez não tenha ouvido mas pude decifrar no rosco de diversas pessoas ao contar que abri meu próprio negócio.

Não passei na faculdade pública, motivo pelo qual sou imensamente grato, como disse sou estudante de direito em uma universidade particular, sendo que meu último vestibular foi para geografia, imaginem, uma pessoa que trabalha com informática, empresário e estudante de geografia, não desafio a capacidade das pessoas de criarem oportunidades com qualquer assunto mas até hoje nunca pensei em como poderia unir estas duas formações em algo que eu goste (repito: Não consegui juntar as duas formações em algo que EU goste, claro existem diversas possibilidades de aliar a informática e geografia e ganhar dinheiro mas não é o que eu queria). Graças a minha não aprovação no vestibular pude hoje fazer uma matéria que tenho muito mais identificação, esta vocês já sabem é o direito.

Sempre que conto que tenho uma empresa as pessoas falam como manda o protocolo da educação “Nossa que legal parabéns” mas vejo no rosto delas sempre uma desconfiança sobre a veracidade daquilo que acabei de falar.

Na visão que tenho dos meus pais acho que teriam muito mais orgulho caso estivesse cursando Geografia em uma faculdade pública do que se tivesse fazendo Direito em uma universidade particular e tocando meu próprio negócio. Tenho certeza que o mesmo acontece não apenas com meus pais, não apenas comigo. Empreender e ser empresário no Brasil é sinônimo de estar muito bem de vida ou algo que é titulo apenas de pessoas ricas, infelizmente muitas pessoas no Brasil tem esta visão, tenho que reconhecer que somos um país com pensamento bastante pobre por pensar assim.

Com isto nossos empresários ficam cada vez mais com vergonha ou medo de empreender, criar o novo ou reinventar o antigo, ficam com medo de grandes cifras ou tentam evitá-las, nossos pais nos criam com o pensamento “Vá para a escola tenha boas notas, faça uma faculdade pública e consiga um bom emprego”, nesta visão é muito melhor seguir o caminho independente se for bom o ruim do que criar o próprio caminho e fazer dele o melhor que você conseguir.

Qual o real objetivo de se ir para a escola, ter boas notas, passar na faculdade e se formar? Uns diriam conseguir um bom emprego que seja seguro e tudo mais, outros diriam que é pelo conhecimento e crescimento cultural por qual passaria se instruindo. Sinceramente acho o segundo muito mais interessante.

E qual seria a principal diferença desta pessoa que focou sua vida em criar o próprio caminho?

Basicamente acredito que o instruído acabaria por arrumar um emprego fabuloso em uma grande empresa, mas e o empreendedor? Aquele que deseja fazer o próprio destino? A resposta é simples, este seria ao meu ver o dono da empresa. Qual o problema de empreender? Porque tamanho preconceito e uma concepção pré fundada de que um novo negócio sempre tende a gerar desconfiança e a acabar ruim, porque um emprego estável em uma grande empresa pode ser mais atraente do que ter sua própria empresa?

A resposta acho que está no modelo de Brasil antigo e desatualizado que nossos pais carregam, um modelo de negócios e mundo que ficou para trás. Formação hoje ainda é importante mas ao contrário de antigamente criatividade, coragem e iniciativa são ferramentas muito mais importantes para o sucesso profissional.

PS. Não confunda formação com conhecimento. Um diploma pode não valer nada sem conhecimento e conhecer algo pode valer muito mais do que mil diplomas, doutorados ou mestrados.

Talvez você empreendedor nunca vá proporcionar o orgulho que seus pais sempre esperaram de você, uma vida de estudos, boas notas, ótimos concursos e um emprego na Petrobras, mas garanto que é procurando o diferenciado, o incomum que você conseguirá ir muito mais longe que qualquer outra pessoa independente da instrução dela, seja o IMPAR, seja criativo. O caminho é desconhecido talvez por isso cause tanta desconfiança, quando somos aprovados em uma universidade pública conseguimos enxergar uma vida de sucesso logo a frente, superação, conquista e muitas outras virtudes. O caminho do empreendedor é muitas vezes escuro e apenas conseguimos ver o futuro alguns passos adiante, como estamos criando nosso próprio destino também podemos destruí-lo, mas pense quantas pessoas são demitidas de seus empregos sem terem feito absolutamente nada para merecer a demissão? Se tiver que falir ou perder um emprego prefiro que seja por conta própria, apenas assim saberei que eu e apenas eu fui responsável pelo meu sucesso ou fracasso. Não estou com minha vida profissional a mercê de qualquer chefe de departamento.

Portanto não tenha medo, empreenda, seja criativo e tenha seu próprio projeto não só financeiro mas de vida, não deixe decidirem por você a maneira como irá trabalhar e principalmente se aposentar.

Por Philipe Cardoso no Oficina da Net

Jovem Empreendedor – Descrença e Preconceito
Avalie este artigo

24 COMMENTS

  1. Tenho 22 anos faço administração de empresas, tenho uma empresa de reflorestamento e paisagismo, comecei como vendedor ambulante por uns 3 anos e faz uns 2 que estou com loja. No começo sempre pensava no fato de ter eu nao ter um emprego como todo mundo e me sentia mal por eles terem empregos e estarem estudando e eu num perrengue danado … Ficava pensando de como ter um negocio é arriscado, mas diante dessa crise eu vejo que nunca se esta seguro a nao ser que esteja concursado, e que um funcionario sempre estará ganhando salario, enquanto com o empreendedorismo hoje pode ser que voce vende pouco, mas venda é venda, hoje voce vende 10 amanha pode pegar um pedido de 1000 e crescer. Hoje eu me sinto muito bem e nao pretendo depois que formar trabalhar para os outros de funcionario, minha intencao é crescer no meu negocio e amplicar e se Deus quiser quem sabe ficar rico!

  2. Ôh Galera legal mas eu esqueci de enviar meu convite a vocês, me sigam no twitter, é bom que empreendedores se mantenham em contato , é muito difícil conversar com alguém fora da visão , não da pra conversar sobre isso com pessoas que pensam diferente, e quem sabe futuramente seremos clientes um dos outros ou até mesmo uma sociedade … @manhãesr é só mandar um recado pra eu saber, (empreendedorismo)

  3. Eu Sabia que eu teria que, tirar tempo para ler isso! Eu sou Técnico em Administração e também tenho uma empresa, a empresa está num momento difícil e meu pai me enlouquece dizendo que preciso fazer faculdade na UFRJ, nunca quis estudar la, pretendo fazer faculdade de ADM numa particular mas ainda não to com oportunidade pra isso, eu desejo fazer meu próprio caminho, pretendo em breve abrir um outro negócio. Eu estudei a vida toda em escola pública, dificilmente tinha dinheiro pra fazer cursos pré Militar, ou qualquer outro que me capacitasse para Universidade pública, minha vida só começou mudar quando eu fiz técnico em administração, e passei a trabalhar na minha empresa, mas de fato há muitas coisas que precisam ser mudadas, e melhoradas, mas eu não deixo de acreditar no empreendedorismo, apesar de ser um caminho difícil é melhor que muitos, as pessoas só querem facilidades, tudo fácil, tudo fácil, e nem ao menos são capazes de assumir suas inabilidades e buscar outros caminhos, eu pretendo cada vez mais me alimentar de histórias e ter amizades com pessoas que buscaram o empreendedorismo do que dar ouvidos a fatos catastróficos e me desanimar dos meus projetos.

  4. Excelente artigo! GOSTARIA DE UMA OPINIÃO, de quem venha a estar comentando futuramente, e por acaso veja este comentário, seria uma breve resposta em cima deste tema: Você acha que os conhecimentos sobre empreendedorismo existem porém estão muito dispersos na internet, muitas vezes você lê um texto para reciclar um parágrafo, por exemplo? se possível gostaria de uma resposta verdadeira de quem a quiser dar. Muito Obrigado! Tem mais uma coisa: O futuro aguarda grandes realizações para os empreendedores, todos em um meio, se ajudarão simplesmente expondo sua visão, empreendedor é alguém com uma visão retilínea das coisas no geral, basta reler os comentários anteriores que veremos do que eu estou falando. Vamos rumo ao sucesso consistente e verdadeiro, não esquecendo de contribuir para uma nação melhor, no futuro, bem próximo é importante que se diga, teremos muitas mudanças, eu prometo a vocês, faz parte das minhas aspirações futuras! Abraço a TODOS!!!

  5. Parabéns! Aqui no Brasil não incentivamos o empreendedorismo. Hoje a maioria das pessoas que eu conheço estão fazendo cursinho estudando que nem louco pra passar em concurso publico e mamar nas tetas do governo.

  6. Parabéns pelo artigo! Fiquei até emocionado!

    Você falou exatamente o que eu penso e sinto. Pelos comentários ninguém está sozinho nessa, muitos empreendedores passam por essas dificuldades todos os dias. Eu sempre tive dificuldade em trabalhar para alguém, especialmente para uma empresa que não valorizava seus empregados direito. Quando eu pensava no meu futuro, não conseguia pensar em ficar trabalhando a minha vida toda para alguém, uma empresa e depois desfrutar do “sossego” da minha aposentadoria. Talvez não tive a chance de trabalhar em uma empresa que me desse a oportunidade de crescer, de desenvolver meu lado criativo, uma empresa dinâmica e com valores condizentes aos meus. Mas mesmo se tivesse trabalhando em uma empresa assim, mais cedo ou mais tarde pediria demissão e abriria a minha própria.

    Demorei muito para criar coragem e abrir definitivamente meu negócio. Não tive apoio da minha família e nem de amigos. Na minha vida, não tive nenhum histórico de empreendedorismo e nenhum ensinamento vindo de ninguém que eu conhecesse. Comecei aos 17 anos a fazer pequenos trabalhos informais, alternando em serviços com carteira assinada. Aos 19 anos que comecei a trabalhar apesar de ser informalmente, mas já com a percepção, paixão e decisão própria de que aquilo era meu próprio negócio e era o que gostaria de fazer a minha vida toda. Montei com meu próprio dinheiro guardado de trabalhos passados. Por motivos de capital, insegurança, contatos, imaturidade, incapacidade técnica para gerenciar, fiquei muito tempo na informalidade e tive que arrumar alguns trabalhos temporários com carteira assinada para me sustentar e ajudar em casa.

    Aprendi muito, mas tenho muito ainda que aprender, muito!!
    Nesse ano de 2012, aos 24 anos de idade, montei formalmente a minha empresa como empreendedor individual. Desde o começo sempre me sentir sozinho com meus próprios projetos, planos, medos e sonhos. Coragem e determinação é o básico para seguir esse caminho. Mas só isso não basta.
    O meu pior desafio, a pior dificuldade foi ter que vencer meus próprios medos, meus bloqueios psicológicos que ao longo de toda minha vida eu carreguei e que não me deixava crescer e me desenvolver. Fiquei muito emocionado com o artigo e tranquilo por ver que muitas pessoas também passam ou passaram pela situações semelhantes e que eu não estou sozinho nessa. Gostaria de manter contato com todos vocês por email ou facebook.

    Obrigado!! Parabéns Philipe Cardoso!
    Abraços, Jean Mychel – jean.mychel@hotmail.com

  7. Parabéns pelas palavras.

    Muitos lutam e estudam para serem empregados, porém, poucos abrem a mente o suficiente para serem empregadores…

  8. Excelente artigo!
    Há 20 anos atrás ter um bom estudo era garantia de um bom emprego com ótimo salário, talvez seja por esse motivo que nossos pais sempre dizem que tem que estudar muito. Mas, hoje as coisas são diferentes, sou a favor de obter conhecimento através do estudo, porem a melhor coisa a fazer é se tornar um empreendedor.

    Abraço, Edson Silva

  9. Acontece em vários países infelizmente.
    Posso adiantar que em Portugal também é bastante assim, poucos ousam, poucos conseguem sucesso, mas conseguem, pelo caminho também descobrem que no plano a faltou Incorporar a variável família, com um peso na carga de desafio pessoal (auto estima) a superar por vezes superior a todos os Desafios do negócio e Caprichos do mercado.
    Parabéns pelo artigo.

  10. Mesmo fazendo uma Universidade Estadual eu sofro preconceito..

    Então pessoal, muito show nosso dialogo, todos acrescentaram algo, uma experiência, algo que nos torna mais forte p/fazermos o que estamos fazendo: Sendo Felizes!!

    Eu estudei Economia em uma Universidade Estadual, e ainda nem me formei. Tenho 8 anos já. Isso porque não da p/dedicar o tanto que os professores dinossauros exigem.. Além de viajar muito e estar correndo atrás a cada dia mais.

    Hoje tenho uma corretora de seguros, e muitas vezes vou a clientes e eles desconfiam, de tratar com uma pessoa nova..alguns não fazem quando digo que não tenho escritorio e trabalho via home-office…já tive escritório, mas entrou 3 clientes e 2 anos!!

    Outra coisa que o brasil peca. Em outros paises é necessário estudar p/ser corretor. Foi o que eu fiz. Tenho diploma pela escola nacional de seguros. Mas perco todo dia p/ estagiarios, ou picaretas na praça, que não tem a mesma dedicação e paixão, e que sim tem que cobrar mais por isso!

    Desejo sucesso a todos! Passem o twitter de vocês, vamos conversar mais!! o meu é @economistaluiz

  11. Excelente artigo, parabéns! me identifiquei em cada paragráfo. Comecei a empreender aos 24 anos, hoje graças a Deus e a muito sacrificio a empresa está perto de completar 10 anos. E o reconhecimento de meus pais e parentes só consegui hà uns 2 anos atrás. É duro você sair todo os dias pra a batalha e monte de gente que acha que sabe o que é melhor pra vc buzinando coisas em seu ouvido como: “Vá fazer concurso””Se a empresa falir vc vai fazer o que?”.

  12. Excelente post, penso da mesma forma, empreender é o futuro. Quem não empreender não terá espaço no mercado de trabalho dentro de alguns anos, as crianças de hoje são as que mais vão sentir.

  13. Prezado, eu concordo que devemos ter iniciativa e buscar essas coisas, no entanto acredito que são poucos jovens com menos de 25 anos que conseguem ter uma boa visão do empreendimento “certo” algo que irá recompensar tanto ele quanto o planeta (sociedade, meio ambiente..). Por isso acredito que o principal não é estudar para obter um bom emprego e sim para amadurecer e buscar realizar algo nesse sentido.

  14. Philipe, parabéns pelo “desabafo”! Eu também estou passando por isso e, embora eu seja consultora e atenda micro e pequenas empresas, passo pelas mesmas dificuldades e sinto o mesmo preconceito de amigos consultores e, acredite, de alguns empresários. Fico triste, mas não os deixo me influenciarem com a idéida de que a felicidade está em passar em um concurso público para ter estabilidade. Não quero isto, quero ser feliz com o que faço! Quero empreender, gerar renda, ser diferente!

  15. Primeiramente Philipe, Parabéns pelo artigo e segundo pela sua coragem de enfrentar os preconceitos impostos pela sociedade em que somente pessoas “experientes” tenham o direito de abrir (empreender) um novo projeto.
    É óbvio que o sucesso não anda paralelamente com a sua coragem, mas a perseverança e o foco fará de você um vencedor.
    Portanto Acredite no que podemos chamar de sonho e dê de si o melhor, com certeza terá um bom resultado. É claro não se esqueça das teorias e principios básicos de todo empresário.

    Erasmo Fantinell

    @fantinellpy

  16. “É muito melhor ousar coisas difíceis,
    conquistar triunfos grandiosos,
    embora ameaçados de fracasso,
    do que se alinhar com espíritos medíocres
    que nem desfrutam muito nem sofrem muito,
    porque vivem em uma penumbra cinzenta,
    onde não conhecem vitória nem derrota.”

    A principal diferença é que escolhemos um caminho onde a gente sabe que desistir não é uma opção. Se parar de bater as asas, você cai. E isso muda tudo.

  17. Tenho 21 anos, faço Engenharia de Computação pela Universidade Federal de Ouro Preto e, recentemente, virei empreendedor, dono do meu próprio negócio. O que já pude aprender? Que a universidade é somente um caminho óbvio já percorrido centenas de vezes anteriormente que só vai me levar aos lugares-comuns onde a maioria mediana chega.
    Eu quero mais, eu quero ir além! Identifiquei-me com todas as citações desse texto, é exatamente o que a gente passa!

    Sucesso, meu caro!

  18. Parabens pela materia Philipe Cardoso !

    Sou um empreendedor e hoje sou empresario de 2 empresas (uma propria e uma sociedade). Sou “muito novo” para os olhos de todos, mas nao me vejo assim, é tanto q minha socia tem 29 anos a mais do que eu, hehehe.

    Concordo com tudo o que voce diz a respeito do brasileiro atrasado, falta de visao e de como costumo dizer… “O BRASILEIRO GOSTA E NAO QUER SAIR DA SUA ZONA DE CONFORTO ! “. Por isso ele trabalha mto para os outros (reclamando ;p, pq geralmente nao é o q ele gosta de fazer, mas faz por dinheiro) e depois é mandado embora da empresa e quando vai ver, ja esta nos 40 e nao cresceu, ficou parado no tempo.

    Gostei muito da sua materia !
    (vou parar de escrever, pq se deixar, vou longe. rs)

    Abraco,
    @MizaelCamporeze

  19. Falou e disse hoje tenho 13 anos e tento um CNPJ para a minha empresa de redes sociais e blogs corporativos mais na minha família ninguém me entende olha que eu sou um dos poucos da minha família que tenha a cabeça nos eixos !

  20. Os brasileiros, em sua maioria, não têm o espírito empreendedor. Isto é uma pena, pois a criatividade do nosso povo é algo valiosíssimo…

    Mas preferem a segurança de um emprego (como na frase que tu citou, eu li ela em “Pai Rico, Pai Pobre…”). Falta realmente apoio, sofro do mesmo problema, a família criticando e dizendo que não vai dar certo.

  21. Parabéns pelo artigo Philipe #show!

    É verdade philipe infelizmente a cultura brasileira incentiva:”estudar para arranjar um bom emprego”, hoje o que vejo são meus amigos querendo a qualquer custo entrar em uma faculdade pública independente do curso para dá satisfação para sociedade e dá orgulho para os pais.

    Eu pelo menos a 3 anos escuto aquela farase clássica: “vc não fez o vestibular?” mas graças a Deus não é dos meus país e sim dos colegas q priorizam a faculdade, sonhando quando sairem formados ou bacharéis já estarão empregados e de carro zero. O que vejo hoje são pessoas frustadas que achavam que a faculdade iria mudar a sua vida para melhor o único bem que saiu foi um pedaço de papapel(Um diploma) e sem nenhum conhecimento.

    Eu completei agora 20 anos de idade e graças a Deus eu e meu irmão temos um pequeno negócio e vários projetos e sonhos, isso grças aos meus país que sempre nos incentivaram a montar o nosso próprio negócio no nosso DNA corre o espiríto empreendedor.Vejo muitos amigos que ingressaram na universidade esse ano já no 1º semestre estão desanimados achando que iria aprender linguagens de programação como PHP, criar um site completo, um sistema, mas serão 3 anos de puro cálculo(no curso de Ciência e Tecnologia) ou seja, só TEORIA.

    Não sou contra a faculdade mais sou contra aqueles que priorizam ela achando que tudo vai aprender lá, atualmente crio sites programo em PHP sabe qual faculdade aprendi? nenhuma foi em casa pesquisando muito ralando pra chegar lá.

    E o único documento que não quero ter é a carteira de trabalho! quero montar um grande negócio e digo aqueles que querem vão em frente lutem e não desanimem e nunca dessita de sonhar…

  22. Disse tudo… fica até dificil comentar tal artigo de tão completo que está.

    Eu enfrentei e ainda enfrento o mesmo preconceito. Sou programador, domino melhor minha área do que muitos pós-graduados dominam as suas.

    Tenho um orgulho imenso de tudo o que faço, de ver meus clientes sorrirem ao ver meu trabalho e superar as expectativas deles e ouvir-lhes dizerem: “Nossa, ficou melhor do que eu havia imaginado, vc é D+”, ao contrário do meu ultimo emprego, onde eu era um mizero operador de caixa que fazia o trabalho do Técnico de informática pois não sabia nem como usar o “format” do MS-DOS e frequentemente me ligava pedindo HELP. E eu ainda tinha de aguentar reclamações por não fazer o trabalho alheio, onde não era nem nunca seria minha obrigação. Fui demitido por recusar-me a fazer o trabalho alheio, e desde então decidi que nunca mais passaria por aquilo nem no inferno, e faria minha própria carreira com meus próprios conhecimentos, sem ninguém mandar em mim.

    Hoje, já recebi propostas de empregos que antigamente era tudo que eu queria. Descobri que a melhor decisão que tomei em minha vida foi a de empreender, apostar na minha própria capacidade, sem ficar esperando reconhecimento de ninguém, como disse no artigo, a mercê da boa vontade dos outros.

    Parabéns pelo artigo!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here