Franquias usam cliente espião

Franquias usam cliente espião para testar se lojas obedecem a padrões

Franquias usam cliente espião para testar se lojas obedecem a padrões
Cliente espião para conferir se franqueados seguem regras

Este é o cliente oculto, que “espia” os franqueados para saber se eles estão seguindo as regras da franquia no dia a dia do negócio.

Entre os itens avaliados pelo cliente espião estão limpeza e organização do ambiente, produtos disponíveis, rapidez e cordialidade no atendimento e até a temperatura do alimento, no caso de redes de alimentação.

Ana Vecchi, da Vecchi Ancona, consultoria especializada em franquias, diz que o cliente oculto ajuda a corrigir falhas, a manter a padronização em toda a rede e na elaboração de treinamentos para os franqueados. Além dessas aplicações, ela afirma que a ferramenta pode ajudar a franqueadora a tomar decisões estratégicas.

“Em redes de abrangência nacional, o cliente oculto pode indicar outros caminhos para o negócio de acordo com a região em que está instalado, como um mix de produtos adaptado ou outra forma de abordagem no atendimento”, declara.

Vecchi diz que vale a pena investir em um prestador de serviço especializado porque ele será capaz de avaliar com maior profundidade do que uma pessoa comum. De acordo com a OnYou, empresa especializada em cliente oculto, o serviço custa entre R$ 200 e R$ 400 por avaliação.

Falta de transparência pode prejudicar relação com franqueado

Segundo a consultora, é importante que a franquia mantenha uma relação transparente com o franqueado, ou seja, ele deve ser avisado de que a franquia usa o cliente oculto para avaliá-lo.

“Isso pode, inclusive, ser um diferencial na hora de escolher a franquia, porque ele vê que existe a preocupação da franqueadora em manter contato com a rede para aprimorar os produtos e serviços.”

Por outro lado, o franqueado também pode achar que estar sendo vigiado e se sentir incomodado, como afirma Wilson Giustino, presidente da franquia Cebrac (Centro Brasileiro de Cursos).

“Quando iniciamos, há seis anos, o trabalho de cliente oculto, houve uma resistência e um pensamento de que estávamos vigiando as unidades. Hoje, os franqueados veem como uma prática que realmente os ajuda e a nossa relação é tranquila e positiva”, declara.

Além disso, é importante que a avaliação seja feita com regularidade. “O ideal é que seja feita, no mínimo, uma vez por semestre. No início, deve ser aplicado a todas as unidades e, conforme a rede for crescendo, pode ser feito por amostragem”, diz Vecchi.

Por Larissa Coldibeli

Franquias usam cliente espião para testar franqueados
Avalie este artigo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here