As vantagens de abrir uma franquia em cidades pequenas

As vantagens de abrir uma franquia em cidades pequenas
Quais as vantagens de abrir uma franquia em cidades pequenas

Existem muitas vantagens de abrir uma franquia em cidades pequenas e buscar um mercado nem tão disputado como nas cidades mais populosas no Brasil. É certo que as grandes metrópoles podem oferecer maior quantidade de consumidores, mas a concorrência entre franquias está cada vez mais acirrada.

A alternativa para o empreendedor do setor de franchising seria investir em cidades pequenas, com até 30 mil habitantes. Mas será que vale à pena montar uma franquia em uma cidade pequena?

Para o especialista e gerente de Expansão do Grupo Multi, Murilo Hartman, as principais vantagens em ter uma franquia em uma cidade pequena é o baixo investimento e retorno rápido.

Porém, para obter lucro é preciso se atentar a cuidados para adequar o estabelecimento ao local. Confira abaixo as razões e os cuidados necessários para investir em mercados locais:

Grandes metrópoles podem oferecer maior quantidade de consumidores, mas a concorrência entre franquias está cada vez mais acirrada. Uma alternativa seria investir em cidades pequenas, com até 30 mil habitantes. Mas será que vale à pena?

Para o especialista e gerente de Expansão do Grupo Multi, Murilo Hartman, as principais vantagens em ter uma franquia em uma cidade pequena é o baixo investimento e retorno rápido.

Porém, para obter lucro é preciso se atentar a cuidados para adequar o estabelecimento ao local. Confira abaixo as razões e os cuidados necessários para investir em mercados locais:

Menor investimento

Segundo Hartman, optar por uma cidade pequena exige investimentos menores com a vantagem de que o retorno é mais rápido se comparado aos grandes centros. Custos com profissionais, aluguel e despesas gerais, por exemplo, são certamente mais baixos do que em uma capital.

Oportunidade nas franqueadoras

Atentas às necessidades do mercado, franqueadoras têm investido em modelos de negócios que atendam regiões com baixa densidade populacional – entre 30 mil e 50 mil habitantes – e que são desenvolvidos para se adaptar a locais com espaços reduzidos. Por isso, Hartman lembra que o número de opções para quem empreender nestes mercados é vasta.

Exclusividade territorial

Em muitos casos, graças à menor área geográfica das cidades pequenas, o investidor que opta por uma franquia acaba tendo a exclusividade para atuar com a marca dentro do território.

Menos concorrência

Se o mercado potencial é menor do que nas grandes cidades, o número de concorrentes que atuam nestes mercados também é reduzido, aponta o especialista.

Crescimento do interior

Segundo Hartman, graças à saturação das grandes cidades e aos altos custos de atuar nestes polos, muitas empresas e profissionais estão se mudando e levando capital para cidades menores. Neste cenário, seguir o fluxo pode ser um bom negócio.

Marca conhecida

Em cidades pequenas, a chegada de uma marca conhecida causa um impacto positivo nos consumidores e ajuda a atrair clientes para a franquia.

Cuidados

Segundo o especialista, primeiramente, é preciso procurar por uma cidade onde exista necessidade do serviço que será oferecido, o que torna mais fácil se tornar referência com um trabalho diferenciado.

A boa localização também faz muita diferença no negócio, o que torna fundamental pesquisar o mercado local. “Algumas franqueadoras possuem um departamento de inteligência de mercado que mapeia as cidades e indica quais as melhores opções.”

Além de avaliar a capacidade da cidade para receber o negócio, Hartman lembra a importância do planejamento em detalhes sobre quanto será investido, a necessidade de contratação de mão de obra, o tempo de retorno do investimento, metas e objetivos a curto e longo prazo, entre outros fatores determinantes para o sucesso do negócio.Salvar

GD Star Rating
loading...

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA